• CMV®

A importância da proteção das mãos na indústria

Segundo dados do IBGE, a maior parte dos acidentes de trabalho ocorrem nos membros superiores (mãos, braços e antebraços). Muita vezes, esses acidentes não tem causas sérias, mas em outros casos pode ter consequências muito graves, como a perda de um membro. Outro dado preocupante é que uma parcela considerável destes acidentes ocorre com os colaboradores da indústria.


Pensando nisso, elaboramos um conteúdo referente aos cuidados necessários para a proteção das mãos. As mãos são uma das ferramentas mais importantes que temos e que usamos diariamente. Através delas desempenhamos diversas funções com precisão e alta capacidade de manobra e não há uma substituição para isso.


O lado negativo é que, justamente por usarmos as mãos o tempo todo, não temos o hábito de cuidá-las ou lembrar da importância da sua proteção. Quando as mãos são feridas, da forma que for, lembrando que elas são sensíveis, mas isso passa e voltamos ao esquecimento outra vez.


Quem trabalha na indústria sabe que os pontos de pinçamento ocorrem quando estamos desprevenidos. Para evitá-los só há uma maneira: se conscientizando em relação a sua presença e tomando o máximo de cuidados possíveis.


Um destes cuidados é usar luvas apropriadas ao manusear, levantar e movimentar materiais ásperos. Toda a proteção e ferramentas especiais fornecidas pela empresa para executar determinada atividade devem sempre (sem exceção) ser utilizadas. Outra prática importante é reservar um tempo do processo de trabalho para remover e/ou dobrar pontas protuberantes.


As chances de ser ferido aumentam significativamente quando o responsável pela atividade não toma cuidado com o equipamento em que está trabalhando e também quando remove alguma proteção e não a coloca no lugar novamente. Colocar o seu corpo em risco nunca é uma boa escolha.


Abaixo separamos três situações e possíveis soluções para elas. Confira:


1. Limpeza, manutenção e reparo de máquinas automatizadas.


Para essas atividades o operador precisa estar concentrado, além de se assegurar que a máquina está desligada. De igual forma, acidentes podem acontecer se o equipamento voltar a funcionar antes do tempo previsto. Como no caso de outro operador por algum motivo acionar o funcionamento da máquina.


Uma solução para este cenário se dá através do uso de EPCs. Os EPCs fornecem um bloqueio de equipamentos ou painéis elétricos, pois funcionam tipo um cadeado que impede o religamento. Também é necessário que o operador utilize os EPIs necessários (luvas e mangotes).


2. Esmagamento das mãos em alguma parte da máquina


Em diversas máquinas há espaços entre as engrenagens que podem ocasionar na apreensão dos dedos ou até mesmo da mão toda. Uma solução é fazer uma análise antes do inicio da atividades. Assim é possível estar alerta aos cuidados durante a operação. Também se aplicam a este caso o uso de EPIs e EPCs.


3. Riscos ligados a atividades que envolvam calor


Os equipamentos ou locais onde há a geração elevada de calor produzem o risco de possíveis queimaduras. Algunas exemplo são motores, máquinas de solda e tubulações de vapor.


A solução nesse caso é a de utilizar os EPIs específicos para estes locais. Cada trabalho proporciona um risco diferente e por isso é fundamental que as normas de segurança sejam seguidos a risca.

Todos os equipamentos da CMV® atendem todas as normas de segurança, o que minimiza que acidentes aconteçam. Todos os pontos de atenção das nossas máquinas também estão sinalizados com frases e símbolos.


Verifique se o equipamento com a qual a sua empresa opera atende os requisitos necessários. Adaptações podem ser necessárias, pois além de ser um ato ilegal, você está colocando a vida dos seus operadores em risco e não há nada mais valioso que eles.




Fontes:

DDS Online. Disponível em: https://www.apaest.org.br/index.php/biblioteca-da-seguranca/colecao-monticuco/51-fasciculo-numero-51-dds-dialogo-diario-de-seguranca-parte-9/file

DuPont. Falando de proteção. Disponível em: https://falandodeprotecao.com.br/blog/2019/10/16/maos-partes-do-corpo-mais-afetadas-por-acidentes/