• CMV®

Problemas causados por usar abrasivo com sujeira


Entre os resíduos que podem ser encontrados em um abrasivo podem ser citados pó do próprio abrasivo, cascas de laminação, pedaços de solda, fios, arruelas e parafusos. A presença deste tipo de sujeira no processo de jateamento reduz a adesão que as superfícies deveriam ter.


Os contaminantes finos provocam desgaste acelerado no equipamento, os demais podem provocar quebras na máquina de jateamento. Não ter um controle efetivo do mix operacional vai acabar por aumentar o risco de falhas precoces no revestimento, como desplacamentos ou oxidação superficial.


Já a granalha livre de contaminantes, ou outros abrasivos, leva à metade o desgaste das peças. Para ter um abrasivo limpo, é preciso utilizar um sistema de limpeza. O sistema separa as partículas finas ou pó do abrasivo reciclado para um jateamento efetivo.


Ao não utilizar um sistema de limpeza, os equipamentos se desgastam prematuramente. Além disso, o abrasivo sujo não permite remover efetivamente o revestimento e baixa a velocidade do jateamento, reduzindo a produtividade da operação.


A segurança também é colocada em risco porque a visibilidade do operador do jato é prejudicada. A ineficiência do processo pode levar a um trabalho mais demorado em função de que o operador leva mais tempo para finalizar o serviço ao necessitar parar para limpar o pó para verificar como está operando.


limpador de abrasivo

Para solucionar este problema basta adquirir um Purificador de Abrasivos. A CMV® conta com um equipamento extremamente eficiente e com coletor de pó altamente compacto. Essa máquina se encontra na versão estacionária ou portátil e pode operar com muitos tipos de abrasivos.